Explore Nova Moradora, 113 M2 and more!

Explore related topics

Madeiras e tijolos de demolição, garimpos de obras e acabamentos rústicos transformam uma edícula inutilizada, em Cotia, SP, na casa dos sonhos da nova moradora. O projeto de 113 m² é da arquiteta Kita Flórido:

Madeiras e tijolos de demolição, garimpos de obras e acabamentos rústicos transformam uma edícula inutilizada, em Cotia, SP, na casa dos sonhos da nova moradora. O projeto de 113 m² é da arquiteta Kita Flórido:

Quando os Jaeger descobriram o imóvel ele já tinha passado por algumas reformas e o resultado ia de encontro com os sonhos da futura moradora. Os antigos proprietários, uma nova-iorquina casada com um brasileiro, haviam removido várias paredes para ampliar os espaços e a entrada de luz natural: a cozinha já estava integrada ao restante, a área de serviço foi reduzida, o corredor dos quartos cedeu sua metragem à sala de estar e um dos dormitórios foi transformado em home office.

Quando os Jaeger descobriram o imóvel ele já tinha passado por algumas reformas e o resultado ia de encontro com os sonhos da futura moradora. Os antigos proprietários, uma nova-iorquina casada com um brasileiro, haviam removido várias paredes para ampliar os espaços e a entrada de luz natural: a cozinha já estava integrada ao restante, a área de serviço foi reduzida, o corredor dos quartos cedeu sua metragem à sala de estar e um dos dormitórios foi transformado em home office.

O apartamento de Andrea funciona como seu laboratório em vários aspectos. Nas paredes e nos móveis de concreto, nas luminárias que ela mesmo cria e instala, nas diferentes composições de quadros, nas novas fases de sua vida… Sem medo de se reinventar sempre que preciso, a moradora assume: “Minha casa é um projeto que nunca termina. Eu quero mudar sempre.”.    Fotos por Luiza Florenzano  COMPARTILHE:  350   VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR DE:  Espaços autênticos | Capítulo 1  Mundo moderno…

O apartamento de Andrea funciona como seu laboratório em vários aspectos. Nas paredes e nos móveis de concreto, nas luminárias que ela mesmo cria e instala, nas diferentes composições de quadros, nas novas fases de sua vida… Sem medo de se reinventar sempre que preciso, a moradora assume: “Minha casa é um projeto que nunca termina. Eu quero mudar sempre.”. Fotos por Luiza Florenzano COMPARTILHE: 350 VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR DE: Espaços autênticos | Capítulo 1 Mundo moderno…

No projeto da arquiteta Julliana Camargo, a varanda foi integrada à sala, mas manteve um visual mais descontraído, com o painel de madeira e...

No projeto da arquiteta Julliana Camargo, a varanda foi integrada à sala, mas manteve um visual mais descontraído, com o painel de madeira e...

5-antes-e-depois-casa-escura-tem-paredes-do-living-derrubadas

5-antes-e-depois-casa-escura-tem-paredes-do-living-derrubadas

revista-minha-casa-setembro-moradora-criatividade-reformar-apartamento_10

revista-minha-casa-setembro-moradora-criatividade-reformar-apartamento_10

De frente ao mar | Sob os bons augúrios do sino-dos-ventos budista, basta uma cadeira para este canto de leitura e contemplação tornar-se irresistível. Com vista para o mar, a casa de praia foi eleita pela moradora, que é budista, um refúgio para escapar de sua turbulenta rotina e também para meditar e praticar ioga. A inspiração para o local veio de uma viagem à Índia. Projeto das paisagistas Barbara Ucello e Maringá Pilz. (Foto: Evelyn Müller/Casa e Jardim)

De frente ao mar | Sob os bons augúrios do sino-dos-ventos budista, basta uma cadeira para este canto de leitura e contemplação tornar-se irresistível. Com vista para o mar, a casa de praia foi eleita pela moradora, que é budista, um refúgio para escapar de sua turbulenta rotina e também para meditar e praticar ioga. A inspiração para o local veio de uma viagem à Índia. Projeto das paisagistas Barbara Ucello e Maringá Pilz. (Foto: Evelyn Müller/Casa e Jardim)

Madeiras e tijolos de demolição, garimpos de obras e acabamentos rústicos transformam uma edícula inutilizada na casa dos sonhos da nova moradora. O quarto da arquiteta Kita Flórido tem suíte, que fica no mezanino e possui assoalho de madeira de demolição e móvel baixo que substitui o guarda-corpo. Para dar privacidade ao banheiro, Paula usou uma colcha presa com mosquetões de alpinismo

Madeiras e tijolos de demolição, garimpos de obras e acabamentos rústicos transformam uma edícula inutilizada na casa dos sonhos da nova moradora. O quarto da arquiteta Kita Flórido tem suíte, que fica no mezanino e possui assoalho de madeira de demolição e móvel baixo que substitui o guarda-corpo. Para dar privacidade ao banheiro, Paula usou uma colcha presa com mosquetões de alpinismo

Pinterest
Search